Notícias

Maior taxa cobrada pelo banco, hoje em 11%, cairá para 9,75%; Caixa também vai renegociar dívidas, o que deve atingir 2,3 milhões de pessoas.

06/06/2019 - CAIXA CORTA JURO DO CRÉDITO IMOBILIÁRIO.

A Caixa Econômica Federal  anunciou a redução nos juros no financiamento da casa própria, que passam a valer a partir da próxima segunda-feira. O banco também divulgou nesta quarta-feira, 5, novas possibilidades para renegociação de empréstimos em atraso. A maior taxa cobrada caiu de 11% mais Taxa Referencial (TR, atualmente em zero) para 9,75% mais TR. A menor taxa, que é paga por quem tem relacionamento com a instituição, foi reduzida de 8,75% mais TR para 8,5% mais TR.
A Caixa unificou as taxas cobradas nos empréstimos do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e do Sistema Financeiro Imobiliário (SFI). No primeiro, os clientes financiam imóveis de até R$ 1,5 milhão com o uso do saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). 
No SFI, para imóveis acima de R$ 1,5 milhão, a taxa cairá de 9,75% mais TR para 8,5% mais TR.
As taxas valem nas diversas modalidades de financiamento: imóvel novo, imóvel usado, aquisição de terreno e construção, construção em terreno próprio e reforma e ampliação.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, garantiu que o banco manterá o foco na baixa renda, mas também buscará crescer no crédito para a classe média. Segundo Guimarães, a Caixa voltará a emprestar pela modalidade Price, que tem parcelas fixas e começam menores que as da modalidade SAC.

Na avaliação de Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP (que representa empresas do setor), o movimento feito pela Caixa deve ajudar milhares de famílias. “Há cerca de oito anos, a mediana dos juros de financiamento era de 8%. Hoje, é de 9%.” Ele pondera, no entanto, que a Caixa poderia ter sido mais ousada, colocando os juros para o SFH em 8,16%.

Para Luiz Antonio França, presidente da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), o movimento anunciado pela Caixa tem um impacto importante no mercado, dado o peso que a instituição tem na concessão de financiamentos. “A tendência é que os bancos concorrentes façam o mesmo movimento.”

Os demais bancos não confirmaram se seguirão a Caixa, mas dizem monitorar o movimento do mercado. No Banco do Brasil, as taxas começam em 8,49% ao ano mais TR, para o SFH. O banco não opera pelo SFI e financia até 80% do valor do imóvel. No Itaú Unibanco, a taxa mais baixa é de 8,3% ao ano mais TR, para o SFH e o SFI e o financiamento é de até 82% do preço do imóvel.

Os financiamentos no Bradesco, por sua vez, partem de 8,95% ao ano mais TR, para imóveis de até R$ 1,5 milhão, e de 9,45% mais TR para os que custam acima disso. O banco financia até 80% do valor do imóvel.

Já no Santander, as taxas começam em 8,99% ao ano mais TR (SFH) e 9,49% ao ano mais TR (SFI) e é financiado até 80% do valor, podendo ser incluídos os custos do imposto de transmissão, o ITBI, e de registro.

Inflação

A Caixa também deve anunciar nas próximas semanas, segundo o presidente do banco, a possibilidade de concessão de empréstimos usando o índice de inflação IPCA, como indexador, no lugar da TR. Segundo o presidente, a mudança é importante para facilitar a proteção do banco para as operações, pois não há títulos públicos indexados a TR, mas ao IPCA. Isso facilita operações de securitização de empréstimos.

Para Guimarães, o risco de a inflação se elevar no prazo das operações seria o mesmo tanto nas linhas de TR e de IPCA.

Renegociação de dívidas

A Caixa também divulgou as condições para a renegociação de dívidas imobiliárias de pessoas físicas. Segundo o banco, as medidas atingem 589 mil contratos (11% da carteira) e devem beneficiar 2,3 milhões de pessoas. Em alguns contratos, pode haver perdão de multas.

Segundo Guimarães, os atrasos de pagamentos na carteira de crédito habitacional chegam a R$ 10,1 bilhões. As renegociações podem gerar de R$ 500 milhões a R$ 1 bilhão para a Caixa este ano. Entre as opções está o pagamento à vista de uma entrada e a incorporação das parcelas atrasadas nas próximas prestações, disponível para 111 mil famílias, que devem R$ 1,8 bilhão.

Outras 237 mil famílias, com R$ 4 bilhões em dívidas, poderão pagar a prestação mais antiga atualizada e incorporar o saldo devedor ao resto do financiamento. As 51 mil famílias com atrasos superiores a 180 dias, e dívidas de R$ 900 milhões, poderão ter o perdão de multa e juros moratórios ao pagarem a primeira prestação da entrada.

Há 15 mil famílias, com débitos de R$ 300 milhões, na iminência de terem seus imóveis retomados, que poderão ficar adimplentes com o pagamento de uma prestação. Há, ainda, a possibilidade de usar o saldo do FGTS para reduzir o valor das prestações, além da mudança da data de vencimento.
 

 




Fonte: Estadão

Outras Notícias

BANCOS ANUNCIAM REDUÇÃO DE JUROS APÓS CORTE DA SELIC

Após o corte na taxa básica de juros, a Selic, nesta quarta-feira (31), pelo Banco Central, bancos anunciaram redução das ...

CAIXA REDUZ TAXA DE FINANCIAMENTO DE IMÓVEIS PARA 8,75%

A Caixa Econômica Federal anunciou hoje a redução da taxa de juros do crédito imobiliário para imóveis com va...

CAIXA REDUZ JUROS DA CASA PRÓPRIA E AUMENTA LIMITE PARA FINANCIAR IMÓVEL USADO

Caixa Econômica Federal (CET) anunciou a redução nas taxas de juros do crédito imobiliário com recursos do Sistema B...

PARA ESTIMULAR CONSTRUÇÃO CIVIL, GOVERNO SOBE VALOR DO IMÓVEL QUE PODE SER COMPRADO COM FGTS

Diante do ritmo fraco da construção civil o governo vai tomar uma medida para estimular a construção de imóveis n...

EMPREGO NA CONSTRUÇÃO BRASILEIRA CRESCEU 0,17% EM MAIO

O nível de emprego na construção civil brasileira cresceu 0,17% em maio na comparação com abril. Com a contrata&cce...

Bancos rivais da Caixa reduzem juros do financiamento imobiliário

Financiar um imóvel começa a ficar mais barato. Isso porque uma disputa entre bancos por esse mercado levou à reduçã...

Como a redução da SELIC impacta diretamente no mercado imobiliário

Em momento otimista da economia, setor é um dos mais beneficiados por redução em taxa de juros O brasileiro conviveu por muito...

CONFIRA OS RISCOS DE COMPRAR OU VENDER IMÓVEL SEM UM CORRETOR

Com o avanço da internet, ficou muito mais fácil anunciar ou procurar anúncios de imóveis para locação ou ve...

SERÁ QUE À HORA É BOA PARA COMPRAR IMÓVEL?

Muitos de nossos clientes fazem essa pergunta freqüentemente para nós. Afinal, em tempos de crise, acredita-se que não devemos con...

CAIXA REDUZ PARA 50% TETO PARA FINANCIAMENTO DOS IMÓVEIS USADOS

A partir da próxima segunda-feira (25), mutuários que financiarem imóveis usados na Caixa Econômica Federal vão enfr...
icone-whatsapp 1
redesp_facebook.pngredesp_skype.pngredesp_youtube.pngredesp_instagram.png
O imóvel que você procura está aqui!
Faça uma busca detalhada e conheça as melhores opções que temos para você.
Tipo:
Cidade:
Valor Mínimo:
Dormitórios:
Finalidade:
Bairro:
Valor Máximo:
 
SENDA INVEST
Rua Professor Ayrton Roberto de Oliveira nº64 Sala 201
Bairro: Itacorubi 
Florianópolis/SC
CEP: 88034-050

 CRECI 4837-J

 

Telefone: (48) 3733-7209
WhatsApp: (48) 99991 5626 / 99122 1608

E-mail: contato@sendainvest.com.br

www.sendainvest.com.br © 2022. Todos os direitos reservados.
Site para Imobiliarias
Site para Imobiliarias
(48) 99177-6699